O Porto de Roterdão já está a trabalhar na expansão de Maasvlakte II, reclamando ao mar a terra necessária para a expansão de quatro a cinco terminais.

Numa primeira fase, a Autoridade do Porto de Roterdão estima a deslocação de 17-18 mil metros cúbicos de areias para criar uma área de 40 a 70 hectares de terrapleno. Que já começa a ser visível defronte do terminal RWG.

Nas fases subsequentes tratar-se-á de construir as frentes de cais e contratar a instalação de novas companhias – os contactos já começaram.

A autoridade portuária reconhece que o investimento na expansão de Maasvlakte II comportou riscos: “Fizemos uma opção estratégica, porque sentimos que os terrenos tinham de estar disponíveis quando se tornassem necessários”.  Mas a aposta parece estar já a dar resultados.

A zona offshore de Maasvlakte II deverá servir diversas indústrias, como a da energia eólica ou do desmantelamento de plataformas petrolíferas do Mar do Norte.

 

 

Comments are closed.