O presidente da Câmara do Porto defendeu hoje que o Governo e a ANA devem “pôr mãos à obra” para avançar com “a próxima fase” de expansão do Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Aeroporto do Porto

Em declarações aos jornalistas, Rui Moreira lembrou que “no contrato de privatização” da ANA – Aeroportos de Portugal, está previsto que “a partir de determinado número de passageiros seria necessário proceder à expansão do aeroporto” do Porto.

“O modelo actual tem capacidade até aos 11 milhões de passageiros. Ainda não estamos lá mas, a este ritmo, vamos estar provavelmente dentro de dois anos. É altura de pôr mãos à obra. Está previsto no contrato [de privatização da ANA]. Compete ao Governo e ao proprietário privado adequarem o plano de investimento de acordo com o que estava previsto”, frisou o autarca.

“Olharemos para o cumprimento escrupuloso do modelo de privatização que contemplava esta situação”, acrescentou Rui Moreira.

De acordo com o autarca independente, o aeroporto do Porto “está a crescer mais depressa do que era estimado”. “Está na altura de olhar rapidamente para a necessidade de fazer os ajustamentos necessários para que o aeroporto continue a crescer ao ritmo a que está a crescer”, vincou.

O presidente da Câmara do Porto disse que a privatização previa “duas fases de expansão”, vincando que “a próxima tem de ser lançada”.

Para Rui Moreira, este projecto é “diferente” e “separado” dos planos previstos pelo Governo para um novo aeroporto em Lisboa.

“São projectos separados, diferentes. Não podemos pensar que o aeroporto da Portela vai durar eternamente. Seria uma atitude irresponsável de um autarca do Norte dizer que o aeroporto de Lisboa tem de estagnar”, observou.

Coisa diferente, afirma Moreira, “é as forças vivas do Norte fazerem os alertas junto do Governo e dos proprietários da ANA no sentido de perceberem que chegou a altura de começar a olhar para o investimento previsto”.

Ontem, a ANA anunciou que o aeroporto do Porto foi eleito pelo Airports Council International (ACI) o melhor da Europa na categoria de cinco a 15 milhões de passageiros e o terceiro melhor na categoria de mais de dois milhões de passageiros.

Hoje, Rui Moreira destacou que, “quando o aeroporto do Porto é distinguido internacionalmente pela qualidade que tem, devemos ficar contentes e satisfeitos”.

“Tem havido grande empenhamento de todos os agentes relacionados com o aeroporto. Nunca fui muito favorável ao modelo de concessão mas reconheço que os proprietários da ANA têm sabido desenvolver o aeroporto”, afirmou.

Com Lusa

Os comentários estão encerrados.