A Rússia pondera criar uma companhia estatal para ajudar a desenvolver o transporte marítimo de contentores pelas rotas do Ártico, avança a “Bloomberg”.

O crescente degelo tende a tornar mais acessíveis à navegação as águas do Ártico e a Rússia propõe-se acelerar esse tráfego. O vice-ministro da Rússia para os assuntos do Extremo Oriente e Desenvolvimento do Ártico, Alexander Krutikov, afirmou numa entrevista que o ministério, juntamente com o grupo de reflexão russo Skolkovo, está trabalhando nesse projecto.

“O Estado paga pela exposição ao Ártico e os carregadores cobrem os custos restantes”, disse Krutikov, acrescentando que os custos para as companhias de navegação usarem a rota marítima do Norte deverão ser mais baixos do que a passagem pelo canal de Suez.

De acordo com Alexander Krutikov, navios feeder com origem em portos europeus e asiáticos poderiam navegar até Murmansk, no mar de Barents, e Kamchatka, no Extremo Oriente, levando cargas para portos de transhipment e, a partir daí, o futuro operador estatal assumiria a responsabilidade do transporte, mantendo os custos de transhipment competitivos para promover a rota.

O governante russo disse acreditar que a companhia estatal de transporte marítimo de contentores terá que trabalhar ao lado de carregadores internacionais por pelo menos uma década até a rota ser comercialmente viável.

Navegação no Ártico divide opiniões

O aquecimento global tem acelerado o degelo polar, tornando mais fácil a navegação nas águas do Ártico. A Passagem do Nordeste, por exemplo, encurta substancialmente o tempo de trânsito entre o Extremo Oriente e o Norte da Europa. Actualmente, os navios só podem usar a rota em determinadas épocas do ano e precisam de quebra-gelos em algumas partes.

A adopção de rotas do Ártico tem provocado debate. Nos últimos meses, alguns dos principais operadores de contentores, incluindo a CMA CGM, a Hapag-Lloyd e a MSC, declararam oficialmente que não usarão as rotas do Ártico devido a preocupações ambientais.

Pelo contrário, outras três grandes companhias, Maersk, MOL e Cosco concluíram viagens experimentais ao Ártico nos últimos dois anos.

Em Junho, a estatal russa Sovcomflot e a companhia de energia Novatek assinaram um acordo com a chinesa Cosco Shipping e o Silk Road Fund para o estabelecimento da joint-venture Maritime Arctic Transport.

 

 

Comments are closed.