A Ryanair anunciou hoje que irá comprar por 50 milhões de euros 75% do capital da congénere austríaca LaudaMotion (ex-Niki) e investir mais 50 milhões para cobrir “custos de início de operação”.

Em comunicado, a low cost irlandesa adianta ter chegado hoje a “acordo vinculativo” com Niki Lauda, antigo piloto de Fórmula 1 e detentor da operadora aérea austríaca, para apoiar o seu plano de desenvolver a LaudaMotion
GmbH” como “uma companhia aérea de baixo custo austríaca de sucesso”.

O negócio prevê a aquisição, “numa fase inicial”, de 24,9% da LaudaMotion, posição “que deverá subir logo que seja possível para os 75%, sujeito a aprovação por parte das autoridades de Concorrência da União Europeia”.

A aquisição de 75% da LaudaMotion “será inferior a 50 milhões de euros”, pretendendo a Ryanair “providenciar outros 50 milhões de euros no primeiro ano de forma a cobrir custos de início de operação”.

O objetivo é que a companhia austríaca “obtenha lucro no terceiro ano de operações”, “caso o plano de desenvolver a frota para pelo menos 30 Airbus venha a ter sucesso”.

A LaudaMotion é detentora de um certificado de operador aéreo (AOC) austríaco, propriedade de Niki Lauda, que adquiriu vários dos activos da antiga companhia aérea Niki, na sequência da falência da Air Berlin.

De acordo com a Ryanair, a LaudaMotion “irá brevemente iniciar uma série de operações regulares e charter com origem na Alemanha, Áustria e Suíça, maioritariamente para destinos de lazer na zona do Mediterrâneo”.

O acordo hoje estabelecido prevê que Niki Lauda “será o presidente do Conselho de Administração da companhia aérea e irá supervisionar a implementação” da estratégia de crescimento da operadora.

Já a Ryanair “irá providenciar apoio financeiro e na gestão da LaudaMotion, bem como seis aeronaves em regime de wet-lease (cedência de aeronaves com tripulação completa, manutenção e seguros) para a época de Verão 2018”, de modo a permitir à LaudaMotion ter 21 aeronaves em operação.

De acordo com a low cost irlandesa, esta parceria “garante segurança nospostos de trabalho e oportunidades de carreira e crescimento no emprego disponível em todas as actividades da LaudaMotion, tais como tripulação de
cockpit e de cabine, manutenção e administração”.

Citado no comunicado, Michael O’Leary assume-se “desejoso por trabalhar em parceria com Niki Lauda para levar a bom porto a sua visão de desenvolver uma companhia aérea austríaca de baixo custo de sucesso, com serviços regulares e charter”. A ambição é, acrescenta, “competir num mercado dominado pelas tarifas altas da Lufthansa, através das suas subsidiárias suíça e austríaca”.

A Niki esteve para ser comprada pela IAG, por 20 milhões de euros, mas o negócio foi frustrado pela oposição da Concorrência comunitária.

 

 

Os comentários estão encerrados.