Michael O’Leary, CEO da Ryanair, criticou hoje os quatro anos necessários para iniciar as operações no Montijo e, ao seu jeito, disponibilizou a fazer os estudos necessários.

Ryanair

“Quatro anos para fazer um estudo? Porque não telefonam à Ryanair? Podiam ter o estudo pela hora de almoço, mas a ANA não quer o estudo pela hora de almoço e não quer a capacidade aberta no Montijo hoje”, argumentou.

O gestor garantiu que irá “encorajar o Governo português para abrir o Montijo antes dos quatro anos, e sim a tempo do Verão de 2018”.

A transferência das companhias para o Montijo dependerá apenas dos “preços oferecidos”, considerou o irlandês, acrescentando que a grande vantagem no Montijo é um “maior espaço” que permitirá crescer, ao contrário da infra-estrutura actual de Lisboa.

“Se no Montijo for cobrado metade do preço em relação à Portela, então muitas companhias aéreas, como a Ryanair, e provavelmente a easyJet, vão para lá”, anteviu o dirigente, que referiu ainda não ter decidido se muda a operação para a margem Sul do rio Tejo.

Na conferência de imprensa de apresentação do horário de Inverno da Ryanair em Lisboa, O’Leary acusou a ANA de “artificialmente conter a capacidade da Portela” e criticou ainda o aumento de 4% das taxas aeroportuárias.

Quatro milhões de passageiros no Porto

O Aeroporto do Porto é uma das bases da Ryanair “que está a crescer mais rapidamente em toda a Europa”, com a companhia irlandesa a prever atingir os quatro milhões de passageiros.

“O Porto é uma das nossas bases que está a crescer mais rapidamente, não só em Portugal, mas em toda a Europa, onde vemos imensas pessoas que querem vir ao Porto, que é um destino de fim de semana e de city break [viagens de curta duração] muito atractivo”, afirmou o presidente executivo da companhia low cost, Michael O’Leary.

Na conferência de imprensa para apresentar o calendário Inverno 2017 no Porto, O’Leary antecipou que, com a entrada em operação da nova rota para Nápoles, hoje anunciada, e com as 10 novas rotas adicionais que a Ryanair irá operar no Aeroporto Francisco Sá Carneiro no próximo Inverno, o total de passageiros ali transportados aumentará dos actuais 3,5 milhões para quatro milhões.

O calendário Inverno 2017 da companhia no Porto incorpora 42 rotas, incluindo uma a rota para Nápoles (com voos duas vezes por semana) e 10 rotas que se mantêm do calendário de Verão: Carcassone (França), Clermont (França), Copenhaga (Dinamarca), Edimburgo (Reino Unido), Cracóvia (Polónia), Lille (França), Lorient (França), Nuremberga (Alemanha), Estrasburgo (França) e Tenerife (Espanha), que se traduzirão num aumento de 14% do tráfego no Porto.

Do calendário constam também voos adicionais para o Luxemburgo (seis vezes por semana) e para Roma Ciampino (três vezes por semana).

 

 

Tags:

This article has 1 comment

  1. Ponham o Michal O´Leary a administrar aeroporto de Lisboa em vez da VINCI e Lisboa seria a nova sede da Rynair e da Easyjet e tantas outras, o que faz falta é concorrência para criar emprego em Portugal !!!