A companhia de parques de estacionamento Saba, colocada à venda no início do ano, terá vários fundos interessados. A Macquarie lidera a “corrida”, mas Mirova, First State e ProA Capital também são referidos.

A australiana Macquarie, que já apresentou uma oferta indicativa ao fundo Criteria (o braço de investimento do La Caixa, que controla a Saba), terá como objectivo criar um gigante do estacionamento, juntando a companhia espanhola à “portuguesa” Empark (adquirida em 2017).

Mais nenhum fundo de investimento com ligações ao sector dos parques de estacionamento apresentou propostas formais, mas há, de acordo com a comunicação social espanhola, mais interessados.

O também australiano First State (dono em Espanha da Parkia), o Mirova, que fechou há pouco tempo a compra da participação da Ardian na gigante francesa Indigo, e o ex-accionista da Saba ProA Capital são os outros nomes falados.

O ProA Capital, capital de risco espanhola foi accionista da Saba até Julho de 2018, altura em que vendeu, juntamente com outros parceiros minoritários, à Criteria a participação de 10,5% que detinha. Fontes próximas do processo referem que um conjunto de investidores procurou o ProA Capital para estabelecer uma oferta conjunta e co-investir na Saba, embora essa opção pareça, hoje, complicada.

O braço de investimento da La Caixa pagou pelos 49% da Saba que não controlava 438 milhões de euros, o que avaliou a empresa em cerca de 800 milhões de euros.

Comments are closed.