A melhoria das acessibilidades marítimas, com recurso a dragagens, permitirá a Setúbal afirmar-se como alternativa ao porto de Lisboa, confia a Sadoport.

Sadoport é concessionária do Terminal Multiusos II em Setúbal

A Sadoport, concessionária do Terminal Multiusos – Zona II do porto de Setúbal, defendeu, em comunicado, a melhoria das acessibilidades marítimas do porto sadino.

Sem surpresa, a Sadoport, do universo Yilport, manifestou “a sua concordância com o projecto” de melhoria das acessibilidade marítimas, nomeadamente com a realização de dragagens para aumento dos fundos.

Entre as vantagens daí decorrentes, a concessionária enumera a melhoria das “condições de segurança”, a capacidade de “recepção de navios de maior dimensão”, a redução dos “custos de transporte na cadeia logística”, a “maior eficiência nas operações portuárias” e a capacidade de “atrair novos armadores e mais cargas”.

Sem referir expressamente as críticas ao projecto, a Sadoport sustenta que as dragagens são “compatíveis com a defesa do Ambiente e do património Natural da Região de Setúbal, bem como com a valorização da actividade piscatória e turística”.

E, mais, permitirão a Setúbal “continuar a afirmar-se como (…) uma efectiva alternativa ao Porto de Lisboa”.

This article has 1 comment

  1. luís pereira

    Só os comunistas são contra as dragagens, o crescimento económico, o emprego e aumento dos salários dos trabalhadores em Portugal, 1 vergonha !