Bronka, o novo porto de águas profundas de São Petersburgo, arrancou com o objectivo de ser o maior hub de contentores da Rússia.
Terminal Bronka de São Petersburgo

O novo terminal, resultado de um investimento de 400 milhões de dólares (366,7 milhões de euros), está localizado no golfo da Finlândia e consegue receber navios de maiores dimensões do que o antigo porto da São Petersburgo.

“No longo prazo, estamos optimistas com o mercado russo”, afirmou, citado pela “Reuters”, o director do terminal, Stefan Wilkens. “A Rússia ainda tem um baixo nível de contentorização”, lembrou. Dados da Maritime Executive indicam que a Rússia movimenta 28 TEU per capita, quando a média mundial é de 97 TEU per capita e a da Europa ascende a 122 TEU per capita.

Os responsáveis pelo porto de São Petersburgo defendem que Bronka é a forma mais directa de chegar aos consumidores de Moscovo. O primeiro carregamento para a capital seguirá este mês, sendo a distância de cerca de 640 quilómetros percorrida por ferrovia.

Nesta fase de arranque, o objectivo da nova infra-estrutura é movimentar 3,8 milhões de toneladas e 350 mil TEU por ano. No longo prazo, a ambição é atingir 80 milhões de toneladas e 1,5 milhões de TEU.

A CMA CGM foi a primeira companhia internacional a fazer escalas regulares neste porto, em Janeiro. O Voronehz, navio “feeder”, de 1124 TEU, de Roterdão, Hamburgo e Ust-Luga, foi o primeiro a atracar em Bronka, como parte de um serviço “shuttle” de São Petersburgo. O navio levou para a Rússia bens de consumo chineses e transportou de volta para Roterdão produtos russos.

 

 

Comments are closed.