São Tomé e Príncipe lançou um concurso público internacional para a construção de um porto de águas profundas em Fernão Dias, anunciou o ministro das Obras Públicas e Infra-estruturas.

Osvaldo Abreu, citado pela “STP-Press”, disse que o objectivo é a construção de um porto que tenha pelo menos um terminal multiusos, com fundos de -16 metros, e que numa primeira fase possa receber navios de até 30 mil toneladas, para posterior expansão.

Osvaldo de Abreu acrescentou que o futuro porto visa “transformar São Tomé e Príncipe numa plataforma
de prestação de serviços aos países de África central e ocidental, ao servir de local de transbordo de contentores e mercadorias provenientes de várias partes do mundo com destino àqueles países.”

As propostas terão de ser entregues até dia 20 de Janeiro de 2020 e deverão incluir o financiamento, a construção e a operação em regime de concessão.

A intenção de construir um porto de águas profundas em São Tomé e Príncipe já tem pelo menos dez anos. Em 2009, a CMA CGM ganhou a concessão para desenvolver um porto de transhipment de contentores, que nunca avançou.

Desde então, têm-se sucedido as notícias sobre a intenção de avançar com um, ou mesmo dois, portos de águas profundas no país, com a intervenção de Angola ou da China, mas nenhum avançou.

Em Fevereiro passado, o ministro Osvaldo de Abreu afirmou que as negociações com a China para a construção de um porto comercial “multifuncional” em São Tomé e Príncipe estavam numa fase bastante avançada, tendo acrescentado tratar-se de um projecto que estava a ser analisado com a cooperação chinesa e com algumas empresas chinesas.

Comments are closed.