O mercado português de pesados de mercadorias cresceu 13,8% no primeiro semestre do ano, com 2 646 matrículas, de acordo com os dados da ACAP. A Scania manteve a liderança.

A Scania vendeu, no acumulado de Janeiro a Junho, 466 camiões (+11,8%), seguida da Renault (+26,6%), com 395 unidades, e da Volvo (+20,6%), com 363 camiões.

Seguem-se no ranking nacional a MAN (347 matrículas), Mercedes (339), DAF (330), Iveco (211), Fuso (117), Isuzu (71) e Volkswagen (7).

Em Junho, as vendas de camiões em Portugal cresceram 31,4% em termos homólogos, para 673 matrículas.

A DAF foi a marca mais vendida, com 168 unidades matriculadas (+320%), à frente da Scania, com 107 (+21,6%). O pódio mensal foi fechado pela Volvo (88 camiões, +15,8%).

Autocarros crescem mais

Quanto aos pesados de passageiros, no acumulado de Janeiro a Junho, o mercado nacional cresceu 76,3% face ao mesmo período de 2018, com 432 vendas.

A MAN (195 matrículas, +2145%) foi a marca mais vendida. Mercedes (89 unidades, +53,4) e Iveco (+3%) e Atomic (zero há um ano) fecham o pódio, ambas com 34 unidades.

Em Junho, o mercado representou 99 unidades, mais 191,2% do que as 34 do mês homólogo do ano passado. A MAN, com 42 autocarros, a Atomic, 20 unidades, e a Renault, com 14 veículos, foram as marcas mais vendidas.

Comerciais ligeiros caem

Nos comerciais ligeiros, o mercado ascendeu, de Janeiro a Junho, a 19 015 veículos, o que representou uma quebra de 1,5% face ao período homólogo de 2018. A marca mais vendida foi a Renault, com 4 381 unidades, mais 2,9% do que no mesmo período do ano passado. Seguiram-se-lhe a Peugeot e a Citroën, respectivamente com 3 607 (+14,1%) e 2 384 (-23,4%) unidades matriculadas.

Em Junho, foram vendidos em Portugal 3 666 comerciais ligeiros, menos 13% do que no mesmo mês do ano passado. Por marcas, a Peugeot liderou, com 933 unidades (+45,1%), seguida da Renault (881, -15,5%) e da Fiat (390, -12,9%).

 

 

 

 

Tags:

Comments are closed.