Os filtros de gases de escape (scrubbers) já abarcam 16% da frota mundial de porta-contentores, ou 35,7% em termos de capacidade de transporte, de acordo com a Alphaliner.

Os scrubbers foram instalados e/ou encomendados para 844 navios de transporte de contentores, com uma capacidade combinada de 8,09 milhões de TEU. Entre eles contam-se 590 navios a serem reconvertidos, 181 novas construções e 73 navios já entregues e existentes.

Estes números comparam, segundo a Alphaliner, com uma frota global total de 5 272 navios, com 22,66 milhões de TEU de capacidade, incluindo uma carteira de encomendas de 420 navios com 2,55 milhões de TEU.

“Entre os esforços dos armadores e transportadores para cumprirem os padrões de emissões IMO 2020, os scrubbers rapidamente surgiram como a alternativa preferida ao bunker LSFO ou MDO”, constata o relatório da consultora.

A Alphaliner explica que a descida de preço dos filtros de gases de escape também tornou a opção mais atractiva. É que o preço baixou de cinco a oito milhões de dólares (4,47 a 7,2 milhões de euros) há um ano para três a cinco milhões (2,68 a 4,47 milhões de euros) na actualidade.

“Várias companhias que inicialmente expressaram cepticismo em relação ao uso de scrubbers mudaram de ideias. Todas as 12 principais companhias de contentores do mundo já se comprometeram com essa opção, em variados graus”, indicam desde a consultora.

 

Comments are closed.