A instalação de filtros de gases de escape (scrubbers) pode ocupar nos navios ULCV o espaço equivalente a “pelo menos 200 TEU”, de acordo com a Alphaliner.

A consultora calculou essa perda comparando a capacidade do Ever Govern, navio da Classe G 20 da Evergreen, que está em construção no Japão, e que será equipado com scrubber, com a de um navio-gémeo já entregue (sem sbrubber).

A Alphaliner indica que a casa das máquinas do scrubber ocupa o equivalente a seis ou sete contentores de largura e uma baía de contentor de 40 pés.

“Um efeito negativo notável sobre a capacidade de contentores do navio”, salientam desde a consultora.

Custos também pesam

À perda de capacidade dos navios junta-se o preço da instalação dos scrubbers versus o sobrecusto do combustível com menor teor de enxofre para cumprir as novas normas da IMO, a partir de 1 de Janeiro 2020.

Ainda não há informações oficiais sobre quanto o LSFO (combustível com baixo teor de enxofre) custará mais do que o actual óleo combustível pesado (HFO). Apenas no terceiro trimestre é que são esperadas informações a esse respeito.

Alguns analistas apontam para um diferencial a rondar os 200 dólares (177 euros) por tonelada, mas previsões mais optimistas apontam para apenas 50 dólares (44 euros) de clivagem.

No pior cenário, um navio ULCV, que queima cerca de 200 toneladas de bunker por dia, precisará de dois anos para recuperar o investimento na instalação de um scrubber.

 

Tags:

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*