A Bohai Leasing, holding que controla a Seaco, anunciou a compra de 80% da Cronos. O negócio permite à Seaco recuperar posições no ranking mundial das locadoras de contentores. E as compras não deverão ficar por aqui.

Os valores da transacção não foram divulgados, mas em Julho do ano passado, quando foi assinado o memorando de entendimento que lançou o negócio, o preço foi fixado em 593 milhões de dólares mas 25,9 milhões de dólares de dívida da Cronos.

Juntas, a Seaco e a Cronos deterão uma frota de cerca de 2,2 milhões de TEU. A Textainer, líder mundial, controla 3,2 milhões de TEU; a Triton 2,5 milhões e a TAL 2,2 milhões, refere o “Lloyd’s List”.uropa e América. E por isso o negócio faz sentido. Mas não só. Os responsáveis da Seaco falam em sinergias que poderão gerar poupanças de até 72 milhões de dólares. E depois, as aquisições parecem ser a melhor (a única?) forma de crescer rapidamente no actual estado do mercado.

Daí que os responsáveis da Seaco, com o apoio da holding chinesa, não afastem a hipótese de novas compras. Mesmo se a prioridade para o ano corrente é a integração das duas operações.

Ainda no que respeita a compras, o negócio dos contentores será ainda o preferido mas os responsáveis da Seaco não descartam a hipótese de seguir a concorrência e diversificar para os vagões ferroviários.

Em Portugal, a Cronos é representada, há já 20 anos, pela Logimaris, que assume também a gestão dos negócios do grupo em Espanha e em Itália.

Questionado pelo TRANSPORTES & NEGÓCIOS sobre o futuro da actividade, João Soares, responsável da empresa, sublinhou que “a equipa gestora da Seaco é que está a realizar o plano de reestruturação da empresa, o qual deverá estar completo no final do primeiro trimestre”. E por isso, “ninguém ainda sabe quais os escritórios (da Seaco e da Cronos) que vão sobreviver e quais os que encerram (…). Não sabemos ainda o que vai acontecer”.

Comments are closed.