Cada uma das mega-alianças precisará de suprimir pelo menos um serviço no Ásia-Europa para compensar o aumento significativo de capacidade com a fase de entrega de novos mega-navios que está à espreita, avisa a SeaIntel Maritime Analysis.

OOCL Germany

A consultora informa que, a partir do segundo semestre de 2017 e até ao mesmo período de 2018, haverá uma injecção de capacidade de 11,5% e que só o encerramento de alguns serviços poderá preservar o equilíbrio entre procura e oferta e, assim, manter os preços médios dos fretes em valores aceitáveis.

As previsões da SeaIntel Maritime Analysis apontam para que, na comparação entre o segundo semestre de 2019 e o mesmo período de 2017, a aliança 2M seja a que menos cresça em termos de capacidade: apenas 3,2% . Já a THE Alliance terá um aumento maior, de 11,9%, na capacidade instalada; e a Ocean Alliance experimentará uma subida ainda mais forte na capacidade, de 24,6%.

“No cenário mais realista de um crescimento de 5% da procura, achamos improvável que o comércio Ásia-Europa possa absorver essa capacidade adicional sem a necessidade de reduzir a quantidade de serviços semanais. Segundo os nossos cálculos, um serviço já deveria ter sido permanentemente suprimido em 2017 “, indica a nota da SeaIntel Maritime Analysis.

 

 

Comments are closed.