Em 2020, cerca de 90% dos porta-contentores alinhados no Ásia-Europa terão capacidade superior a 14 000 TEU, prevê a SeaIntel.

MSC - Porto de Sines - Terminal XXI

Actualmente, cerca de 45% dos navios alinhados no Asia-Europa são +14 000 TEU. Há cinco anos, eram apenas 5%. Mas nos próximos três anos deverão entrar ao serviço uns 90 navios de +14 000 TEU. No final de 2020, haverá 125 navios de +18 000 TEU em operação.

A SeaIntel prevê, por isso, que as companhias terão de reduzir o número de serviços semanais na rota Ásia-Europa, por falta de cargas, a menos que haja um aumento inesperado e sustentado da procura.

Os especialistas da consultora consideram que os operadores terão de fazer uma escolha estratégica entre limitarem-se a replicar os serviços uns dos outros e procurarem oferecer ligações exclusivas porto a porto que outras alianças não tenham. Esta última opção poderá, de acordo com a SeaIntel, promover a utilização dos navios com capacidades entre 10 000 e 14 000 TEU, podendo as companhias ter uma maior diversificação de produto, ainda que com custos unitários operacionais mais altos.

O efeito cascata deverá acentuar-se, com a deslocação de navios cada vez maiores do Ásia-Europa para o Ásia-Mediterrâneo. Mas mesmo isso tem limites, o que pode “atirar” mais capacidade para outras rotas, agravando os problemas do desequilíbrio entre a oferta e  procura, avisa a consultora.

 

 

 

Comments are closed.