O SEAL critica a demora da reunião da Comissão Paritária sobre o diferendo entre estivadores e Yilport em Setúbal e avisa que não aceitará mais adiamentos.

A reunião da Comissão Paritária (CP), solicitada pelo SEAL, com carácter de urgência, no passado 28 de Outubro, só foi agendada para amanhã, sexta-feira, 15 de Novembro, mas agora foi reagendada para dia 22, refere o sindicato em comunicado.

Num primeiro momento, terá sido a ausência de um dos dois elementos da CP a justificar o atraso na marcação da reunião; agora o adiamento acontecerá a pedido das associações patronais, para terem tempo para se prepararem para a reunião.

Apesar da urgência pretendida, o sindicato dos estivadores diz aceitar os atrasos, “porque acreditamos que os sucessivos adiamentos foram fruto de factores incontornáveis”, mas avisa que “em nome dos estivadores que representamos e do interesse em salvaguardar a paz no sector portuário, não podemos voltar a aceitar novo adiamento”.

Em causa está, recorde-se, o diferendo entre o SEAL e o grupo Yilport sobre a contratação de pessoal à luz do Contrato Colectivo de Trabalho em vigor no porto de Setúbal. O sindicato já anunciou um pré-aviso de greve, mas a sua concretização ficou dependente do esclarecimento, pela Comissão Paritária, das cláusulas que dividem sindicato e patrões.

Entretanto, a situação repetiu-se no porto de Lisboa, com contornos similares e desfecho idêntico, estando também ali a concretização da greve anunciada dependente do resultado da reunião da CP de Setúbal.

Comments are closed.