Os seguros de crédito com garantia do Estado para países fora da OCDE alavancaram exportações de 229 milhões de euros, segundo a Cosec.

“Entre Março e Maio deste ano, as operações aprovadas no âmbito da Linha de Seguros de Créditos de Curto Prazo para países fora da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) com garantia do Estado, gerida pela Cosec, atingiram 50 milhões de euros, potenciando exportações de 229 milhões de euro, cerca de 7% das exportações portuguesas de bens e serviços destinados a mercados fora da União Europeia”, refere a seguradora de créditos e caução em comunicado.

O prazo médio de decisão das candidaturas foi reduzido em 40%, para 5,8 dias úteis, desde a sua apresentação à Cosec, em coberturas até um milhão de euros, apesar do aumento da procura e de a totalidade das equipas da seguradora estarem em teletrabalho, lê-se no comunicado.

Segundo a presidente do Conselho de Administração da Cosec, Maria Celeste Hagatong, citada no comunicado, “esta melhoria significativa do serviço prestado às empresas só foi alcançada devido ao investimento feito pela Cosec no processo de digitalização dos seguros de créditos com garantia do Estado (SCGE), iniciado em Setembro de 2018″ e para o qual a seguradora continua a “desenvolver melhorias permanentes”.

Além disso, desde o início de Janeiro, que a companhia lançou “um projecto piloto de trabalho à distância“, que se “revelou determinante perante os novos desafios”, salientou a gestora.

Actualmente, todo o processo desta linha de seguros de créditos, a que verifica a maior procura, é realizado online, desde a apresentação das candidaturas pelas empresas, na plataforma SCGEnet, à avaliação e decisão sobre o seguro de créditos com Garantia do Estado e à própria contratação dos seguros, com emissão e disponibilização dos documentos contratuais aos segurados na mesma plataforma, refere a seguradora.

O seguro de créditos é um instrumento importante para a dinamização das transacções comerciais, assegurando às empresas o bom pagamento dos créditos das suas vendas de bens e serviços por motivos de incumprimento financeiro dos seus clientes.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*