Seis das dez maiores companhias de transporte marítimo de contentores do mundo pediram ajuda aos respectivos estados por causa da  crise da Covid-19.

O caso mais recente é o da Pacific International Lines (PIL), de Singapura, que viu a pandemia agravar os problemas de liquidez que já vinha sentindo há meses. A companhia está agora a negociar um resgate com a Heloconia Capital Management, uma unidade da Temasek Holdings, o fundo soberano da cidade-estado.

Os problemas da PIL são bem conhecidos. A apreensão de navios por dívidas, os atrasos nos pagamentos dos contratos de fretamento e de bunker fizeram as manchetes no últimos tempos. A companhia abandonou a rota trans-Pacífico em Março, depois de ter saído do Ásia-Europa em Abril do ano passado. Também vendeu sua participação na Pacific Direct Line (PDL), que opera no Pacífico Sul, além de vender muitos de seus maiores navios em Fevereiro e Março.

Na verdade, a décima maior companhia de transporte de contentores do mundo, com uma capacidade de 350 390 TEU, tem estado ocupada a transferir activos.

A PIL firmou um contrato de exclusividade de seis meses com a Heliconia, sobre o investimento potencial, enquanto luta para manter-se à tona com credores e fornecedores que exigem a liquidação de dívidas.

Numa nota enviada à Bolsa de valores de Singapura, a PIL indica que está em discussão com 15 credores sobre a negociação da dívida e que obteve aprovação em princípio da maioria destes (97,6% da dívida total) para adiar o pagamento de capital e juros.

De notar que a Temasek já veio em socorro da PIL em pelo menos uma ocasião anterior. No ano passado, a Alphaliner revelou que, em 2018, a PIL recebeu empréstimos não declarados da SeaTown Holdings, vinculada à Temasek Holdings.

Além da PIL, também a Cosco, a CMA CGM, a Evergreeen, a HMM e a Yang Ming já receberam apoios estatais sob várias formas, no âmbito das medidas de combate aos efeitos da pandemia de Covid-19 no sector. São seis companhias do “top 10” mundial do sector e, juntas, representam cerca de 43% da capacidade das dez maiores.

Na verdade, segundo a Alphaliner, oito das maiores 12 companhias pediram / receberam ajuda. O que inclui a Zim e a Wan Hai Lines.

De fora ficam, portanto, apenas a Maersk, a MSC, a Hapag-Lloyd e a ONE.

 

 

 

 

Comments are closed.