O número de incidentes com piratas decresceu ligeiramente nos primeiros nove meses do ano, mas o total de navios sequestrados aumentou para um nível sem precedentes nos últimos cinco anos.

De acordo com o BMI (Bureau Marítimo Internacional), entre Janeiro e Setembro foram sequestrados 39 navios porta-contentores em todo o mundo. No mesmo período do ano passado, haviam sido 35.

No seu relatório sobre a actividade da pirataria marítima, a instituição sediada em Kuala Lumpur contabiliza 289 incidentes com piratas, incluindo a abordagem de navios, o que é 5% menos do que os 306 episódios registados nos três primeiros trimestres de 2009.

Os piratas somalis continuam a ser os campeões desta actividade criminosa. Foram responsáveis por 44% do total de incidentes e perpetraram a quase totalidade (35 incidentes) dos sequestros de navios.

A actividade das forças navais internacionais tem conseguido resultados, reconhece o BMI, referindo a propósito a quebra, de 100 para 44, do número de incidentes verificados no Golfo de Aden.

Mas a região é demasiado vasta, como grande é a ousadia dos piratas somalis, que se aventuram cada vez mais longe da costa, usando para o efeito navios de pesca oceânicos: um navio-tanque de 13 mil TDW foi sequestrado em Julho em pleno Mar Vermelho, no que foi o primeiro registo naquelas águas tão a Sul do Corno de África.

O BMI destaca ainda no seu relatório o aumento da actividade dos piratas mares do Sul da China, onde este ano foram atacados 30 navios, dos quais 21 chegaram a ser abordados.

Comments are closed.