O Golfo da Guiné registou em 2019 um aumento de 50% nos sequestros de tripulações, com uma forte subida no último trimestre, avisa o Bureau Marítimo Internacional.

 

O IMB (na sigla em inglês) da Câmara de Comércio Internacional (ICC) registou 121 sequestros de marítimos por piratas no Golfo da Guiné no ano findo, contra 78 em 2018. Só no quarto trimestre de 2019 houve 64 marítimos sequestrados em seis ataques separados.

“Estas últimas estatísticas confirmam a importância do aumento da troca de informações e coordenação entre embarcações e entre agências de informação e resposta na região do Golfo da Guiné”, refere, em comunicado, Michael Howlett, director do IMB da ICC.

“Sem as estruturas de relatórios necessárias, não poderemos destacar com precisão as áreas de alto risco para os marítimos e da resposta ao aumento de incidentes de pirataria nessas águas persistentemente vulneráveis”, acrescenta Howlett.

No total, no último ano, a região do Golfo da Guiné foi o palco de mais de 90% dos sequestros no mar contabilizados pelo IMB. Apesar do forte aumento dos sequestros violentos naquela zona do globo, a nível mundial o número de incidentes de pirataria e assalto à mão armada contra navios diminuiu em 2019. Houve 162 incidentes relatados ao IMB, comparados com 201 no ano anterior.

Comments are closed.