A remoção de um afloramento arenítico junto ao terminal de contentores é um dos primeiros sinais de que a melhoria das acessibilidades marítimas ao porto de Setúbal está a avançar.

Em causa está, de acordo com o esclarecimento emitido a propósito pelo Porto de Setúbal, a remoção de um afloramento arenítico que, na realidade, sustenta a APSS, é assinalado nas cartas de navegação como um “perigo à navegação”. Isto porque o seu extremo superior tem a cota de -12 metros, quando aquele troço do canal tem cotas médias de -14 metros.

A remoção do “Bico da Parvoíça”, como é designado, “está prevista no projecto de execução e no Estudo de Impacte Ambiental (EIA), tendo este sido objecto de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) e de Declaração de Impacte Ambiental (DIA) favorável”, destaca a administração portuária.

Em paralelo, está em curso a “preparação do local que servirá de apoio a todas as operações” e o “transporte da pedra para a construção da estrutura de contenção do aterro que irá ser realizado na zona adjacente ao Terminal Ro-Ro”, acrescenta a nota da APSS.

 

This article has 1 comment

  1. luís pereira

    Notícias desta MINISTRA DO MAR é “ver para crer” há 4 anos que promete “mundos e fundos” e quase nada fez nos portos nacionais por isso os portos espanhóis não param de crescerem e os nossos decrescem à exepção do terminal XXI de Sines que mesmo assim perdeu toda corrida para Barcelona quando estava perto, 1 vergonha