Bastaram dez meses para o porto de Setúbal superar o movimento recorde de carga contentorizada verificado no ano passado. No final de Outubro, foram atingidos os 1,1 milhões de toneladas. Um novo máximo que contrasta com a quebra de 7,5% no movimento global de mercadorias.

IMG_0967

Em termos homólogos, a carga metida em contentores cresceu 20,4% em Setúbal. O movimento dos contentores propriamente ditos, medido em TEU, avançou 11,8% para os 98 217 TEU.

A carga contentorizada é, de resto, a única a crescer de forma expressiva no porto da foz do Sado. Onde o movimento global de mercadorias recuou nos acumulado dos primeiros dez meses 7,5% para 6,4 milhões de toneladas. A carga ro-ro também cresce mas apenas 0,2% e vale 124,7 mil toneladas.

Olhando para os principais agregados, os granéis sólidos recuaram 14,5% até aos 2,4 milhões de toneladas; a carga geral fraccionada perdeu 8,8% para 2,4 milhões de toneladas (a carga geral cedeu 0,8% para 3,7 milhões de toneladas) e os granéis líquidos caíram 24,7% e ficaram-se pelas 247,5 mil toneladas.

A paragem do terminal da Mitrena e um recuo nas exportações continuam a pesar nos números globais de Setúbal. O movimento na Mitrena afundou mais de 40% e as cargas perderam 13,2% para 3,98 milhões de toneladas.

 

 

Comments are closed.