Para favorecer as exportações e tentar recuperar dos estragos provocados pelas greves dos estivadores, a Administração do Porto de Setúbal decidiu eliminar, pura e simplesmente, a Taxa de Uso do Porto (TUP) para as cargas contentorizadas.

A APSS justifica a medida com o contexto nacional de crise económica e com as orientações da tutela sobre a redução dos custos portuários e a simplificação de procedimentos. Mas refere igualmente a vontade de recuperar as cargas perdidas no ano passado por causa das sucessivas paralisações dos estivadores.

Em 2012, o movimento de contentores, em unidades, caiu 38,2% em Setúbal, depois de ter crescido de cerca de 25 mil TEU, em 2009, para perto dos 51 000 TEU, em 2010, e para lá dos 77 mil TEU, em 2011.

Pior que isso, o porto do Sado, que vinha conquistando armadores para os seus terminais, assistiu a um movimento inverso no ano findo.

Em Setúbal, a TUP aplicada à carga contentorizada é de 0,4307 euros/contentor, pelo que a sua eliminação, atentos os volumes movimentados, não terá um impacte decisivo nas contas, nem da administração portuária, nem dos operadores. Mas valerá sobretudo como um sinal para o mercado.

A eliminação da cobrança da TUP está agora apenas dependente da aprovação pelo IMT.

Comments are closed.