O prazo para acordar o CCT dos estivadores do porto de Setúbal foi prolongado em uma semana, anunciou o SEAL. Mas as negociações prosseguem em bom ritmo, acrescentou.

O prazo inicialmente acordado entre operadores e sindicato para negociar um Contrato Colectivo de Trabalho (CCT) em Setúbal foi de 75 dias, contados a partir de 14 de Dezembro do ano passado.

“As negociações têm decorrido a bom ritmo, mas em virtude de uma das associações patronais não ter disponibilidade de agenda nesta que poderia ser a última semana de negociações, será agendada a continuidade das negociações durante a próxima semana”, escreveu António Mariano, presidente do sindicato SEALm no blogue “O Estivador”.

O estabelecimento de um CCT para os estivadores de Setúbal foi uma das premissas que permitiu o acordo que, a 14 de Dezembro, pôs termo à paralisação do porto de Setúbal. Isso e a integração imediata de 56 estivadores precários, com possibilidade de alargá-la a outros dez a 37, em função da movimentação de cargas.

As negociações do CCT estão, pois, a avançar, e a integração de mais precários poderá mesmo acontecer, a avaliar pelas notícias de recuperação dos serviços que durante a greve deixaram de escalar Setúbal, mais o reforço da actividade de algumas linhas e captação de novas, mais ainda o aumento da movimentação de cargas no arranque do ano.

Com as negociações do CCT ainda por terminar, a Direcção do SEAL “apenas se pronunciará sobre os resultados finais que vierem a ser alcançados”, rematou António Mariano nas redes sociais.

 

Comments are closed.