Cerca de 30 estivadores, escoltados pelas forças de segurança, iniciaram hoje a operação de um navio de transporte de automóveis da Autoeuropa no porto de Setúbal.

Estivadores mantêm protesto em Setúbal

Como anunciado, o terminal ro-ro de Setúbal voltou hoje a laborar para permitir o escoamento de algumas centenas de veículos da Autoeuropa. Com os estivadores sadinos em greve, a operação foi viabilizada com recurso a trabalhadores externos ao porto.

Chegaram ao início da manhã, num autocarro descaracterizado e com vidros fumados, e partiram já a noite caíra, do mesmo modo, para regressarem amanhã. No porto sadino ninguém parecia saber de onde vieram, nem ao certo quantos eram.

Os estivadores em protesto tentaram impedir a entrada do autocarro no recinto portuário, mas acabaram por ser removidos pelas forças de segurança. Os momentos foram de tensão, mas não se registaram confrontos.

Ao princípio da manhã, em comunicado, a Operestiva saudou a “coragem” dos estivadores que estavam a laborar e criticou a “presença de elementos radicais estranhos ao porto de Setúbal, que em muito contribuíram para o extremar de posições”.

No mesmo texto, a empresa do Grupo Yilport reafirmou o empenho em contratar mais estivadores e disse prever que “até ao final do mês seja possível repor o normal funcionamento das operações” em Setúbal.

Diogo Marecos, gerente da empresa, anunciou entretanto terem sido já contratados seis trabalhadores de um total de 30 que a empresa diz estar em condições de integrar.

Facto é que se mantém o impasse entre operadores e sindicato dos estivadores quanto ao reatar das negociações sobre o novo CCT, com as partes a não se entenderem sobre as condições prévias para se sentarem à mesa.

Do lado dos operadores, a Operestiva mantém que só aceita negociar depois do fim da greve convocada pelo SEAL. Do lado dos estivadores, o sindicato lembra que a greve ao trabalho extraordinário não tem a ver com o CCT, e insiste nas condições apresentadas no final de Setembro passado.

 

Este artigo tem1 comentário

  1. Finalmente depois de semanas parado o porto Setúbal voltou a trabalhar para escoar a produção dos carros da AUTO-EUROPA, o maior exportador nacional, que tinha acumulados 10.000 carros, chega de pouca vergonha !