Os credores da Daewoo Shipbuilding and Marine Engineering (DSME) chegaram a acordo para financiarem o periclitante estaleiro sul-coreano com 2,8 triliões de wons (2,2 mil milhões de euros). O acordo está, contudo, dependente da aprovação pelos sindicatos do plano de reestruturação da companhia.

DSME SHIPYARD

O acordo foi anunciado pelos credores, o Korea Development Bank (KDB) e o Export-Import Bank of Korea, ambos controlados pelo Estado sul-coreano, para evitar que a DSME saia da Bolsa. De acordo com o plano, o KDB propõe-se converter 1,8 triliões de wons sul-coreanos (1,42 mil milhões de euros) de dívida em capital. O banco já anteriormente converteu empréstimos de 400 biliões de wons (315,1 milhões de euros) em acções da DSME.

Quanto ao Export-Import Bank of Korea, o seu objectivo é comprar um trilião de wons (788,9 mil milhões de euros) de obrigações a emitir pelo estaleiro em dificuldades.

Além disso, o plano de ambos os credores implica uma redução do quadro de trabalhadores da DSME, o que leva, aliás, a que o plano esteja dependente do ok dos sindicatos. De acordo com a agência “Yonhap News”, os sindicatos têm até quarta-feira da próxima semana (dia 23) para se pronunciarem.

Na semana passada, a DSME anunciou que pretende angariar mais 700 mil milhões de wons (552,3 milhões de euros) através da venda de activos ainda em 2016. No início do ano, a DSME anunciou um plano de reestruturação que prevê a dispensa de 12 mil pessoas, reduzindo o quadro para 30 mil, até 2019.

A DSME contratou este ano cinco vezes menos encomendas do que o projectado no início do exercício.

 

 

 

Comments are closed.