Desde 2007, o transporte marítimo mundial baixou as emissões de CO2 em mais de 10%. Até 2050, a redução deverá chegar aos 50%, segundo a International Chamber of Shipping (ICS).

UASC - Barzan

A entidade, que está a preparar a 21ª Conferência sobre as alterações climáticas, que se realiza, em Dezembro, em Paris, cita um estudo de 2014 da Organização Marítima Internacional (IMO, na sigla em inglês) que revela que o transporte marítimo representa, hoje, 2,2% do total mundial das emissões mundiais de CO2, contra 2,8% em 2007.

“Estas são reduções genuínas conseguidas através da economia de combustível, sem necessidade de medidas complexas como créditos de carbono”, afirma, citado pela assessoria de imprensa, o secretário-geral da ICS, Peter Hinchliffe, que salienta que a redução de 10% conseguida desde 2007 é generalizada e não se concentra apenas nos navios com pavilhão de países mais ricos.

“Com navios maiores, motores mais eficientes e uma gestão mais eficaz da velocidade, o sector está confiante numa redução de 50% das emissões de CO2 até 2050, altura em que a frota mundial será composta por navios super-eficientes, dos quais muitos serão movidos a combustíveis limpos como o GNL”, acrescenta.

Recorde-se que a IMO já tornou obrigatório que todos os navios construídos a partir de 2025 sejam 30% mais eficientes do que os da década de 2000.

Comments are closed.