A Shortsea Portugal, como doravante se apresentará a APTMCD, prepara a alteração dos estatutos para atrair novos associados e alinhar com a nova política europeia para o shortsea shipping.

SSS

Reunidos em assembleia geral, os membros da Agência Portuguesa de Promoção do Transporte Marítimo de Curta Distância decidiram a convocação de uma assembleia geral extraordinária para aprovar os novos estatutos, que se pretendem mais modernos e flexíveis, adaptados à nova realidade da política europeia de promoção do shortsea e ao novo papel que os SPC (shortsea promotion centers) serão chamados a desempenhar, na promoção da co-modalidade.

Com os novos estatutos, a Shortsea Portugal propõe-se igualmente facilitar a adesão de novos associados. Quer para aumentar o número, quer para reforçar a diversidade, ganhando para a “causa” outros players envolvidos nas cadeias logísticas.

Actualmente a participação na agência está praticamente confinada ao sector marítimo-portuário.

Na assembleia geral – que assinalou a passagem de testemunho de António Belmar da Costa a Isabel Ramos na direcção executiva – foram ainda eleitos os corpos sociais para o triénio 2015-2017. Com poucas, quase nenhumas, alterações relativamente ao elenco anterior: a AAMC mantém a presidência da Direcção, a APL dirige a Assembleia Geral e a APS lidera o Conselho Fiscal.

Tags:

Os comentários estão encerrados.