A aliança 2 M, que agrega a Maersk Line e a MSC, anuncia para o terceiro trimestre do corrente a primeira grande revisão do network no Ásia-Norte da Europa, com a redução de escalas directas e hubs de transhipment. Sines não será afectado.

SInes - Maersk Line

No espaço de uma semana, primeiro a Maersk Line e depois a MSC anunciaram a revisão da sua oferta no Ásia-Norte da Europa, que resultará numa redução de escalas e na melhoria de tempos de trânsito entre os principais portos.

No âmbito da aliança 2M, os cinco serviços semanais passarão a escalar 83 portos, contra os 95 agora tocados. O maior corte acontecerá na Ásia (de 54 para portos) e particularmente no Japão (que perderá três das quatro escalas directas).

Com os novos arranjos, os dois parceiros da 2M anunciam poupanças nos transit times entre Ásia e o Norte da Europa que podem chegar aos quatro dias.

E Sines? De acordo com a informação disponível, o porto alentejano manterá o seu estatuto de porto de transhipment, a par de Algeciras, Salalah, Dubai e Colombo. Tanger Med, por exemplo, perderá a sua única escala.

O Terminal XXI continuará a ser também o primeiro porto europeu do Lion Service da MSC, que terá a seguinte rotação: Yokohama, Ningbo, Xangai, Chiwan, Yantian, Tanjung Pelepas, Sines, Antuérpia, Le Havre, Southampton e Felixtowe.

 

Comments are closed.