Os portos espanhóis cresceram menos que os portugueses no primeiro trimestre. E a movimentação de contentores até regrediu no país vizinho. E com isso, Sines reforçou o seu quarto lugar no ranking ibérico.

Porto de Sines

O movimento de mercadorias nos portos espanhóis atingiu os 114,4 milhões de toneladas no final do primeiro semestre. Em termos homólogos, o crescimento foi de 3,2%, de acordo com os dados da Puertos del Estado.

Os granéis líquidos cresceram 6,7% para os 39,9 milhões de toneladas. Os granéis sólidos subiram 3,5% até aos 21,8 milhões de toneladas, e a carga geral avançou 0,1% para os 52,6 milhões de toneladas, com a carga contentorizada a recuar 0,8% para 37,2 milhões de toneladas.

Em Portugal, como é sabido, no primeiro trimestre os principais portos do Continente processaram 20,9 milhões de toneladas, mais 9,5% que no período homólogo de 2015.

Entre os principais portos espanhóis (e ibéricos), Algeciras recuou 2% para os 23,4 milhões de toneladas, Valência avançou 7,4% para os 16,7 milhões de toneladas, e Barcelona caiu 3,6% até aos 10,4 milhões de toneladas.

Por cá, Sines disparou 21,6% até aos 9,99 milhões de toneladas. O que equivale por dizer que reforçou o seu quarto posto ibérico, aproximando-se do terceiro lugar e distanciando-se dos mais próximos concorrentes – Tarragona, Cartagena ou Huelva, que cresceram apenas na casa dos 7-8%.

Situação semelhante verifica-se no movimento de contentores. Espanha movimentou no primeiro trimestre 3 380 966 TEU, menos 1,5% que no primeiro trimestre de 2014. Os principais portos nacionais, por seu turno, atingiram os 582 920 TEU, o que representa um ganho homólogo de 2,1%.

Valência reganhou a liderança espanhola (e ibérica), com um crescimento de 14,5% para os 1 169 236 TEU e a aproveitar o afundanço de Algeciras (menos 13,2%) até aos 1 015 628 TEU. Barcelona continuou terceiro no ranking, com 455 089 TEU (mais 5,7%).

A seguir surge Sines, com 279 347 TEU movimentados (mais 3% que no primeiro trimestre de 2014). O porto alentejano perdeu terreno para os da frente (à excepção de Algeciras) mas ganhou vantagem sobre o perseguidor mais próximo, o porto de Las Palmas, que perdeu 4,6% dos movimentos e se ficou pelos 226 207 TEU.

Tags:

Comments are closed.