2019 poderá terminar com uma quebra acentuada na movimentação de contentores, apesar do crescimento de todos os portos do Continente… à excepção de Sines.

Entre Janeiro e Novembro contaram-se 2,53 milhões de TEU nos portos continentais, segundo a AMT. Em termos homólogos, a perda é de 8%, ou cerca de 220 mil TEU. Sendo que Sines perdeu quase 283 mil.

Na sua análise aos números de Sines, o regulador destaca os efeitos da greve dos estivadores do Terminal XXI e a perda de 28% dos movimentos de transhipment (para cerca de 900 mil TEU), ao mesmo tempo que realça o avanço de 17% nos tráfegos do hinterland, para a casa dos 421 mil TEU. Resultado: 1,32 milhões de TEU, menos 17,6%.

Leixões caminha para um novo recorde anual, mesmo se em Novembro perdeu quase 10%. No year-to-date soma 636,6 mil TEU, mais 4,5% que no mesmo período de 2018.

Longe de recordes, mas a recuperar continua Lisboa. Cresceu 16% em Novembro e passou a contar 426,5 mil TEU, uma subida homóloga de 7,1%.

A recuperar também está Setúbal da greve de 2018. Em Novembro, os 10 376 TEU movimentados bastaram para crescer quase 500%. No acumulado do ano passou a ter 127,4 mil TEU, um avanço de 4,6%.

Pela Figueira da Foz passaram, entre Janeiro e Novembro, 19,3 mil TEU, numa subida de 9,8%.

Comments are closed.