A Maersk Line anunciou hoje uma redução do número de portos escalados pelos serviços Ásia – Europa / Mediterrâneo que opera com a MSC no âmbito da aliança 2M. Sines não é afectado.

Os cortes anunciados abrangem 17 portos. A nova oferta será efectiva a partir de Maio, com as primeiras saídas no sentido westbound.

A Maersk Line justifica as mexidas com a necessidade de melhorar a fiabilidade dos serviços mantendo a cobertura geográfica e os tempos de trânsito.

“As omissões portuárias forçadas [pelas condições meteorológicas, mas não só] afectam os fluxos de mercadorias e têm impacto nas cadeias de abastecimento dos nossos clientes. Esta rede destina-se a reduzir a necessidade de omissão de portos”, indica o responsável pelas rotas europeias na Maersk Line, Johan Johan Sigsgaard.

Ao mesmo tempo, pretende promover-se o balanceamento da oferta e da procura nos vários serviços e nos dois sentidos dos tráfegos, com isso reduzindo os efeitos perversos da sobrecapacidade.

O porto de Sines mantém-se como um dos portos “core” nos serviços para o Mediterrâneo Ocidental, a par de Barcelona, Valência, Algeciras e Tanger Med.

O Terminal XXI continuará, por isso, a receber as escalas do serviço AE10 da Maersk Line (Lion Service da MSC), sendo o primeiro porto europeu tocado à vinda da Ásia. A rotação anunciada é a seguinte: Xiangang, Kwangyang, Ningbo, Xangai, Yantian, Tanjung Pelepas, Sines, Bremerhaven e Gdansk.

 

Comments are closed.