Depois de Faro e Portimão, a segunda geração do Cartão Único Portuário (CUP) chegou a Sines. Próximas escalas: Setúbal e Madeira.

Sines - Terminal XXI

O novo CUP representa, claro, uma evolução da primeira geração, oferecendo “uma melhor optimização dos processos de autorização para acesso às áreas internacionais dos portos”, e disponibilizando “mais informação de apoio à decisão”.

Mas não só. Esta nova geração distingue-se ainda da anterior por ser concebida de raiz para funcionar de forma integrada entre vários portos e diferentes delegações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Novidades são também o funcionamento em dispositivos móveis, o suporte multilingue e, de um modo geral, a melhor usabilidade aplicacional, ficando mais user friendly”.

Na componente de back office, o CUP II disp0nibiliza agora de uma área reservada às empresas, para a gestão directa dos pedidos de credenciais por parte de grandes utilizadores.

A segunda geração do CUP distingue-se ainda pela melhor “integração com a Janela Única Portuária” suportando agora “mais funcionalidades de controlo e despacho, incluindo as componentes respeitantes à Factura Única Portuária [onde Sines também está a ser pioneiro] e novos formulários electrónicos de listas de tripulantes e passageiros”.

O Cartão Único Portuário – que é na realidade uma plataforma electrónica capaz de abarcar toda a comunidade portuária – foi desenvolvido no âmbito do programa Simplex pelas administrações portuárias de Sines, Lisboa e Leixões.

Entretanto, os portos de Setúbal e da Madeira estão já a trabalhar na sua implementação, “queimando” etapas e optando já pela segunda geração.

 

Comments are closed.