Uma semana volvida, o Porto de Sines garante que a greve dos estivadores convocada pelo SEAL não está a ter “qualquer impacto” na actividade.
A greve dos estivadores não está a afectar o funcionamento de Sines

Em comunicado, a administração portuária sustenta que as operações de movimentação de cargas têm decorrido “dentro da normalidade, sem registo de paragens ou de quaisquer atrasos”.

Os estivadores filiados no SEAL – Sindicato dos Estivadores e da Actividade Logística iniciaram no passado dia 13 uma greve ao trabalho extraordinário (o que inclui os sábados, domingos e feriados) em praticamente todos os portos do Continente e Ilhas, em protesto contra alegadas práticas anti-sijndicais, especialmente nos portos de Leixões e Caniçal.

Precisamente, a APDL foi a primeira autoridade portuária a garantir a normalidade das operações, no caso em Leixões.

A recusa a prestar trabalho suplementar, que se prolonga até 10 de Setembro, terá mais impacto no porto de Lisboa, onde se concentram os estivadores membros do SEAL.

Para garantir o abastecimento aos Açores e Madeira, a ministra do Mar fixou, entretanto, os serviços mínimos, impondo a operação de pelo menos um navio com destino a cada uma das regiões autónomas, ao sábado, em Lisboa.

 

Os comentários estão encerrados.