O movimento de mercadorias nos portos do Continente cresceu 7,1% em Janeiro, mas apenas Sines e Setúbel tiveram resultados positivos, assinala a AMT.

Em Janeiro, os portos continentais movimentaram 8,25 milhões de toneladas, mais 550 mil do que há um ano. Só Sines contribuiu com um acréscimo de 745 mil toneladas. E Setúbal ajudou com 18 mil.

Sines arrancou o ano a movimentar 4,5 milhões de toneladas, o que representou um salto de 19,7%. Setúbal realizou 536 mil, mais 3,5%. Todos os demais ficaram no vermelho: Leixões fez 1,6 milhões de toneladas (menos 5,2%), Lisboa 946 mil (menos 4,2%), Aveiro 484 mil (menos 4,2%), Figueira da Foz 147 mil (menos 25,5%) e Viana do Castelo 29 mil (menos 23,1%).

Mercadorias em alta

No caso de Sines, o aumento “brutal” das mercadorias movimentadas explica-se essencialmente pelos ganhos na carga contentorizada (mais 20,4%), carvão (mais 77,8%) e produtos petrolíferos (mais 21%). E o resultado poderia ser ainda melhor, não fosse a quebra significativa na movimentação de petróleo bruto.

Apesar de pisarem terreno negativo em termos globais, outros portos registaram também crescimentos importantes na movimentação de alguns tipos de cargas, sublinha a AMT. Em Leixões, por exemplo, a carga contentorizada cresceu 20,3%; em Aveiro foi a carga geral fraccionada a disparar 84,2%; em Lisboa os produtos agrícolas subiram 21,6%.

Pela negativa, evidenciaram-se o petróleo bruto em Leixões e Sines, os produtos petrolíferos em Leixões e Lisboa, a carga contentorizada em Lisboa.

» LER MAIS

 

Comments are closed.