A Ecoslops, empresa de produção de combustíveis marítimos a partir de óleos residuais (denominados “slops”), anunciou a primeira venda de betão leve (XFO) produzido em Sines.

Sines

A empresa francesa possui uma unidade industrial de reciclagem e transformação de resíduos petrolíferos no porto alentejano desde Junho, resultado de um investimento de 18 milhões de euros.

“Após o arranque da venda de combustível naval, a primeira venda de betão leve revela que a nossa fábrica no porto de Sines tem capacidade para reciclar e transformar mais de 98% dos óleos residuais que recolhemos e cumpre os requisitos dos nossos clientes finais”, refere, citado pela assessoria de imprensa, o CEO da Ecoslops, Vincent Favier.

“Este último passo é um bom sinal para os nossos desenvolvimentos futuros. Esta demonstração da nossa eficiência industrial ilustra a validade do nosso modelo de negócio e aumenta ainda mais a nossa confiança na possibilidade de, em breve, estabelecermos novas unidades em outras localizações”, acrescenta a mesma fonte.

Os “slops” resultam, quer do armazenamento e utilização do combustível para o funcionamento dos navios,quer, no caso dos cargueiros de granéis líquidos, dos resíduos de produtos (crude e refinados, entre outros) que ficam nos tanques.

A Ecoslops detém o exclusivo da recolha dos óleos residuais no porto de Sines, por via de uma subconcessão outorgada pela CLT (Grupo Petrogal), concessionária do terminal de granéis líquidos e da recolha dos óleos residuais.

Os “slops” ganham “uma segunda vida” na unidade industrial da Ecoslops em Sines, pois, em vez de serem incinerados, como é a prática corrente, são reciclados como combustível para os navios.

A empresa francesa prevê fechar 2015 com cerca de 10 mil toneladas de combustível naval produzidas. A capacidade de produção da unidade de Sines situa-se nas 30 mil toneladas anuais.

» Sines transforma óleos residuais em combustível naval

Os comentários estão encerrados.