Os sistemas intermodais de transportes de Lisboa, Porto e da AML- Barreiro custarão este ano ao Estado 13 milhões de euros em indemnizações compensatórias. Cerca de 700 mil euros menos que em 2014.

Andante

A maior fatia – cerca de 7,1 milhões de euros – está destinada ao sistema intermodal da Área Metropolitana de Lisboa. Neste caso, o Executivo mantém o valor do ano passado.

Os operadores envolvidos no sistema intermodal Andante, da Área Metropoitana do Porto, receberão 5,2 milhões de euros. A fatia de leão irá para os operadores públicos: à STCP caberão 3,2 milhões de euros (3,8 milhões em 2014), à CP 291,2 mil euros (354,5 mil euros) e à Metro do Porto 1,09 milhões (990 mil). Os privados receberão 714 mil euros (901 mil euros em 2014).

O sistema intermodal da AML – Barreiro só este ano é objecto de contratualização, prevendo o Estado pagar 647,9 mil euros em indemnizações compensatórias. No ano passado, ainda sem contrato, as indemnizações compensatórias totalizaram 538,5 mil euros.

No que respeita aos passes sociais, as verbas previstas para 2015 são sensivelmente iguais às de 2014 nos casos dos títulos de estudante 4_18@escola.tp e sub_23@superior.tp. Já no Social+ o Executivo prevê poupanças consideráveis, nomeadamente nos pagamentos à Carris (cerca de 400 mil euros), à STCP (cerca de um milhão de euros), à CP (perto de 300 mil euros) e aos operadores privados da AM Porto (cerca de 700 mil euros). Novidade são os 212 mil euros orçamentados para os operadores privados do sector ferroviário.

Os valores das indemnizações compensatórias pela prestação de serviço público para o ano corrente foram aprovados no Conselho de Ministros de ontem.

Comments are closed.