A pensar nas necessidades específicas do e-commerce, mas também na economia de custos, a SkyTeam Cargo está a trabalhar numa carta de porte (AWB) única para toda a rede da aliança, que cobre 175 países.

AF-KLM Cargo

“É um projecto importante para ligar todas as nossas redes, usando apenas uma AWB, com monitorização completa e reservas de espaço, da origem ao destino. Isso ainda não está disponível no mercado”, referiu, em declarações ao “The Loadstar”, Rafael Figueroa, CEO da Aeromexico Cargo e novo líder da SkyTeam Cargo.

Figueroa, que falava à margem da 26.ª conferência da CNS Partnership, que se realizou esta semana na cidade norte-americana de Nashville, explicou que o serviço ainda está a ser desenvolvido e que “começará com pacotes de até 100 kg”. O objectivo é que esteja disponível no primeiro semestre de 2017.

“Temos de desenvolver o interface. Ainda estamos na fase de planeamento, mas assim tenhamos os interfaces a trabalhar lançaremos alguns produtos no mercado”, acrescentou. “Temos de trabalhar nas regras de adesão e garantir que as responsabilidades são claras”, disse ainda.

O produto servirá o mercado do e-commerce, nas ligações aeroporto-aeroporto, tendo os transitários como clientes.

A aliança, que agrega 12 companhias aéreas, entre elas a Air France-KLM Cargo, já transporta cerca de 25% da carga aérea mundial, de acordo com dados do CASS. “As companhias começaram a investir e estamos a tentar ser mais uma aliança empresarial do que antes”, explicou Rafael Figueroa.

A SkyTeam Cargo transportou, nos 175 países que abrange, quase 32 milhões de toneladas- km, com uma frota de 3 145 aviões.

Tendo em conta o abrandamento da procura, as companhias da aliança estão a cortar nos custos, nomeadamente reduzindo as frotas de aviões cargueiros, ou partilhando a capacidade de armazéns (actualmente são 40). “Todas as companhias da aliança estão a fazê-lo. É impulsionado pela necessidade de corte de custos, mas também aumenta as receitas”, justificou o líder da SkyTeam Cargo.

 

 

 

 

Comments are closed.