A SNCF pretende operar no mercado de Alta Velocidade espanhol assim ela seja liberalizado, em Dezembro de 2020, e pretende fazê-lo com uma oferta low cost.

A SNCF tem como objectivo ser o primeiro operador a fazer concorrência à Renfe em Espanha, mas a ideia é fazê-lo com um parceiro local. Para isso está em negociações com a ILSA e a Acciona, que estão juntos num projecto de Alta Velocidade para o país vizinho.

“Queremos chegar como espanhóis”, assegurou Rachel Picard, responsável pela Alta Velocidade na operadora francesa, em conferência de imprensa, em Madrid.

A ideia é replicar em Espanha o sucesso do serviço low-cost Ouigo, lançado há quatro anos em França e que agora transporta cerca de 17 milhões de passageiros/ano .

A chave para a rentabilidade de um serviço de Alta Velocidade de baixo custo é fornecer mais frequências e alcançar uma ocupação máxima dos comboios, com serviços e custos mais baixos, de acordo com a responsável pelo negócio na SNCF.

O objectivo da companhia pública gaulesa é, assim, “generalizar” as viagens ferroviárias low cost em Espanha.

Melhor rede da Europa

“Estamos muito interessados ​​no mercado espanhol e em participar do desenvolvimento da Alta Velocidade popular, para atrair mais pessoas para o comboio”, referiu Rachel Picard, que deixou rasgados elogios à rede espanhola AVE. “É a melhor rede da Europa e pode ser mais utilizada, há espaço para aproveitá-la expandindo o mercado”, referiu.

Apesar de aspirar a estrear a concorrência no transporte ferroviário espanhol, a SNCF reconhece que ainda não conta com comboios “prontos para circular em Espanha”, ou seja, aprovados e equipados com os correspondentes sistemas e certificados de segurança.

 

 

Comments are closed.