O transporte de mercadorias em Portugal recuou no primeiro trimestre praticamente em todos os modos. A excepção foi mesmo a carga aérea, segundo INE.

O transporte aéreo de mercadorias foi o único a manter a tendência de crescimento no primeiro trimestre de 2020, apesar de uma forte desaceleração face ao último trimestre do ano passado, assinala o INE na sua síntese trimestral. Entre Janeiro e Março deste ano, a carga aérea (incluindo o correio) movimentada nos aeroportos nacionais atingiu as 49 167 toneladas, 4,2% acima do registado no período homólogo de 2019. Foram desembarcadas 23,3 mil toneladas (mais 1,1%) e embarcadas 25,9 mil toneladas (mais 7,1%).

O resultado é positivo mas ficou longe do crescimento de 16,2% verificado no último trimestre de 2019. A pandemia de Covid-19 ajudará a explicar este abrandamento, já que, em Março, a quebra nos volumes movimentados atingiu os 16,6%.

O transporte ferroviário de mercadorias, por seu turno, recuou 7,3% em volumes e 8,1% em toneladas/km, no primeiro trimestre, em termos homólogos, com 2,3 milhões de toneladas e 655 milhões de t/km, respectivamente. Ainda assim, refere o INE, o resultado foi melhor que o do último trimestre de 2019, quando as quebras homólogas atingiram os 12,3% e os 9,5%.

Na rodovia, o transporte internacional foi o mais castigado no primeiro trimestre, com uma queda homóloga de 21,1% para os 4,9 milhões de toneladas. O transporte nacional cresceu marginalmente (0,7%) para 33,7 milhões de toneladas, e com isso o resultado global ficou nos 38,7 milhões de toneladas e numa quebra homóloga de 2,8%. O sector tinha crescido 0,6% no último quarto do ano transacto.

Relativamente às operações de carga nos portos, os números do INE, que incluem os portos do Continente e das regiões autónomas, mostram uma quebra homóloga de 2,7% entre Janeiro e Março, com cerca de 21,5 milhões de toneladas processadas. No trimestre imediatamente anterior, o resultado homólogo havia sido já negativo em 2,9%.

This article has 2 comments

  1. Vergonha nacional, a DHL aguarda há 10 anos que António Costa & Fernando Medina emitam licença construção HUB Portela, o Ministro Pedro Santos nada faz, verconha !

  2. vergonha nacional !