A portuguesa Somague (Grupo Sacyr) integra o consórcio que ganhou a construção de mais um troço da Linha 2 da rede do Metropolitano de São Paulo, num negócio de 490 milhões de euros.

O valor da empreitada justifica-se mais complexidade dos trabalhos envolvidos do que pela sua extensão. Prevê-se a construção de um túnel de via dupla com 7,8 quilómetros de extensão e 11,65 metros de diâmetro e de um conjunto de túneis de 1,8 km para estacionamento de composições.

Além disso, no troço entre Vila Prudente e Dura serão construídos cinco poços de ventilação, a superestrutura da via e a estação de Vila Formosa.

Este é, de longe, o maior dos contratos que a construtora portuguesa já ganhou no Metropolitano de São Paulo. A empresa é também responsável pela construção dos lotes 1 e 3 da Linha 15, no valor de 55 milhões de euros cada, e pelo terminal rodo-ferroviário da estação de Vila Prudente, num montante de 35 milhões de euros.

Os comentários estão encerrados.