Ainda este ano, a Sonangol investirá 12 milhões de dólares na recuperação e modernização do porto e do aeroporto internacional de São Tomé.

O investimento da petrolífera angolana decorre do contrato de concessão do porto e do aeroporto, por um período de 30 anos, assinado na passada quarta-feira, em São Tomé.

O acordo, rubricado pelo ministro das Obras Públicas e Recursos Naturais são-tomense, Carlos Vila Nova, e pelo administrador executivo do Grupo Sonangol, Batista Sumbe, garante à Sonangol uma participação de 80% na nova gestora do porto de Ana Chaves e do aeroporto internacional de São Tomé. Os restantes 20% permanecem na posse do Estado são-tomense.

O contrato estabelece “um investimento de urgência” por parte da Sonangol, de mais de cinco milhões de dólares para o porto de Ana Chaves e de pouco mais de sete milhões de dólares para o aeroporto internacional de São Tomé, em resposta às exigências internacionais.

Apontada como uma das parceiras de São Tomé e Príncipe na exploração do petróleo do país, a Sonangol é a única fornecedora de combustíveis à empresa são-tomense Enco, que detém o monopólio de comércio desses produtos no arquipélago.

Comments are closed.