A Suardíaz ganhou o contrato para o transporte marítimo de automóveis da PSA entre Vigo e Nantes, mas não se compromete ainda com a criação da desejada – e adiada  – AEM entre os dois portos.

O contrato com a PSA Peugeot-Citroën, com uma duração de três anos, é visto por muitos como a última hipótese de viabilizar o projecto da Auto-Estrada do Mar. O Ministério do Fomento espanhol terá por isso sensibilizado o Grupo Suardíaz para estudar o projecto.

Juan Riva, o presidente do grupo espanhol, aceitou o desafio mas, em declarações públicas, não se mostrou entusiasmado com o projecto, que disse desconhecer nos pormenores. Encarregou entretanto um grupo de trabalho de estudar os pormenores, de modo a tomar uma decisão no final de Janeiro.

O facto de a Suardíaz estar envolvida, com a LD Lines, na AEM Gijon-Nantes não será um obstáculo, garantiu. Pelo contrário. A existência de dois serviços beneficiaria ambos, garantiu, invocando a experiência que o grupo tem com a Grimaldi no Mediterrâneo, onde são parceiros e concorrentes.

A AEM Vigo-Nantes está pensada para o transporte de carga rodada desacompanhada. E o facto é que o navio da Suardíaz que fará o transporte dos automóveis da PSA não dispõe de cabinas para passageiros, sejam motoristas ou turistas. O “Suarvigo”, que deverá substituir o “La Surprise”, é um navio ro-ro e car carrier, podendo as suas cobertas ser adaptadas para receberem até 110 trailers, semi-reboques ou plataformas, sem cabeça tractora.

A AEM Vigo-Nantes tem garantido, à partida, um apoio de 30 milhões de euros (15 milhões de Madrid e outro tanto de Paris).

Os comentários estão encerrados.