A Suécia aguarda a aprovação da Comissão Europeia para avançar com o regime de “tonnage tax” de tributação das companhias de navegação.

Suecia

O objectivo é captar mais empresas e navios para o pavilhão sueco, que actualmente reúne apenas cerca de 100 embarcações.

O novo regime – que poderá entrar em vigor a 1 de Julho do próximo ano – prevê uma taxa única de imposto, calculada de acordo com a tonelagem dos navios e não segundo os resultados fiscais das companhias.

O regime de “tonnage tax” só será aplicável a navios com mais de 100 toneladas de arqueação bruta, que não operem na cabotagem sueca e que sejam de propriedade, gestão e bandeira suecas. Uma vez que escolham o novo regime fiscal, não será possível aos operadores “saltarem” da “tonnage tax” para a tributação convencional para obterem vantagens fiscais.

“Congratulamo-nos por podermos introduzir um regime de tributação com base na arqueação para beneficiar o cluster marítimo, e espero que venhamos a ter mais navios a navegar sob bandeira sueca. Sabemos que isto é muito importante para o emprego no sector”, afirmou, citada num comunicado, a ministra das Infra-estruturas da Suécia, Anna Johansson.

A Associação de Armadores Suecos sempre defendeu a “tonnage tax” como sendo uma “corda salva-vida” para a indústria marítima do país.

Por cá, também a associação do sector (AAMC) há muito defende, sem sucesso, a adopção da “tonnage tax”.

Comments are closed.