Os primeiros comboios de mercadorias do novo operador deverão circular ainda este ano. O objectivo é captar novos tráfegos e complementar a oferta de serviços nas linhas principais.

A iniciativa de criação do novo OFP é do operador privado Agenia, uma sociedade detida pela empresa de engenharia Egenie (especializada em trabalhos em via) e pela transportadora Denjean.

A aposta é na ligação das regiões de Midi-Pyrenées, Aquitaine, Languedoc-Roussillon e Provence-Alpes-Cote d’Azur aos grandes eixos ferroviários, às principais plataformas logísticas do Sul de França e aos portos, nomeadamente Marselha.

O projecto está a ser seguido pela RFF, a homóloga francesa da Refer. O plano de negócios está feito, o dossier de segurança (para a obtenção do certificado de operador ferroviário) completo e o pedido de licença já foi apresentado no Ministério dos Transportes.

Quanto a saber que cargas se propõe transportar o novo operador, os seus responsáveis não abrem por agora o jogo, mas à “AFP” o director da Agenia, Michel Colombié sempre garantiu que não está em causa fazer concorrência à SNCF. Primeiro, porque começará por um grupo restrito de cargas, antes de generalizar, e depois porque 60% dos tráfegos que se propõe trabalhar são novos em termos de carga ferroviária, disse.

Os comentários estão encerrados.