O Presidente angolano cancelou a autorização dada em Janeiro para a aquisição de novos aviões para a TAAG. A decisão terá sido pressionada pelo FMI.

Num despacho presidencial a que a "Lusa" teve acesso, João Lourenço reverte as autorizações para a celebração de contratos com a Boeing e Bombardier para a compra de, segundo a imprensa angolana, 15 aparelhos até 2022.

No documento, é também pedido ao Ministério dos Transportes angolano para desencadear os instrumentos para "estruturar e montar a operação de financiamento" para a aquisição de aeronaves e . . .

 

*** CONTEÚDO DE ACESSO RESERVADO. FAÇA LOGIN OU TORNE-SE ASSINANTE T&N ***

Tags: