A TAAG inaugura amanhã, sábado, as ligações regulares com o Porto. Para já serão dois voos semanais, operados com um B777-200. A partir de Setembro, chegará a vez do novo B777-300 ER. O sucesso passará muito pela carga.

São grandes as expectativas da companhia aérea angolana para a nova ligação entre o Porto e Luanda. Compreende-se porquê: boa parte dos passageiros e da carga que actualmente voam entre as duas capitais têm, na verdade, a sua origem no Norte.

A prova dessa apetência do mercado é o facto de, logo no primeiro voo, “termos um load factor de 50% na carga”, referiu ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS o delegado da TAAG em Portugal.

“Temos uma tarifa muito atractiva, substancialmente mais barata que a praticada actualmente com a escala em Lisboa”, reforçou Virgílio Dolbeth. “Além das vantagens em termos de transit time e de manuseamento das cargas”, reforçou.

O B777-200 com que arranca a operação tem uma capacidade de carga de 20 toneladas. Mas a partir de Setembro a companhia angolana propõe-se operar para o Porto com um dos novos B777-300 ER recentemente adquiridos. “Estaremos a falar então de uma oferta de capacidade semanal de 60 toneladas”, sublinhou o representante da companhia angolana.

Se tudo correr pelo melhor, acrescentou, “não já este ano, mas certamente no início do próximo, com a entrada do novo Verão IATA, poderemos ter uma terceira operação para o Porto, provavelmente às quartas-feiras”.

Certo é que a operação da TAAG na Invicta não afectará a oferta da companhia em Lisboa.

Já a TAP, de acordo com vários operadores ouvidos pelo TRANSPORTES & NEGÓCIOS, poderá ter de ajustar a sua estratégia relativamente ao aeroporto do Porto.

Os comentários estão encerrados.