A transportadora aérea de Cabo Verde, TACV, necessita de 50 milhões de euros para sanear a situação financeira em que se encontra, disse o presidente da empresa, numa reunião com trabalhadores.

De acordo com a imprensa cabo-verdiana, João Pereira da Silva garantiu que com aquele montante a companhia de bandeira de Cabo Verde pagaria todas as suas dívidas, e adiantou que o dinheiro necessário pode chegar dentro de pouco tempo.

Há já vários anos que o governo de Cabo Verde procura, debalde, um interessado na privatização da TACV.

Recentemente, a companhia renovou a frota com dois Boeing 737-300, mas isso não resolveu os problemas operacionais, no tocante ao reforço da oferta de voos e destinos. De acordo com um piloto da empresa, citado na imprensa local, os novos aparelhos “permitem a realização de voos para a África Ocidental, casos do Senegal e Guiné-Bissau, mas não servem nas rotas principais, que estão na Europa, Brasil e Estados Unidos”.

“Se para Lisboa, a rota mais frequente, é necessário deixar carga em terra para transportar combustível, destinos mais distantes, como Boston, França e Alemanha, não podem sequer ser pensados”, reforçou o comandante.

A Portuguese News Network informou que a actual administração está a desenvolver esforços junto da empresa de locação financeira no sentido de trocar os dois aviões por outros de maior porte, no mínimo por um Boeing 767.

Comments are closed.