A Tailândia vai investir na construção de um porto de águas profundas em Macuse, na província da Zambézia, centro de Moçambique, e na ligação ferroviária à província de Tete, disse segunda-feira a primeira-ministra da Tailândia, no decurso de uma visita oficial.

“Temos tido êxito no investimento em infra-estruturas e em corredores de desenvolvimento e, nesse contexto, vamos investir na construção de um porto em Macuse [localidade da Zambézia] e de uma linha de caminho-de-ferro”, disse a primeira-ministra Yingluck Shinawatra, de acordo com a imprensa moçambicana.

O projecto de construção do porto de águas profundas de Macuse foi anunciado em Dezembro de 2011 pelo grupo mineiro Rio Tinto, que explora uma mina de carvão mineral em Benga, na província de Tete, segundo informou na altura o Centro de Promoção de Investimentos de Moçambique (CPI).

Na época, o director da instituição pública, Lourenço Sambo, disse que o projecto envolvia um investimento de oito mil milhões de dólares, compreendendo, para além da infra-estrutura portuária, a construção da linha de caminho-de-ferro Tete-Macuse, com uma extensão de cerca de 575 quilómetros.

Actualmente, o transporte ferroviário do carvão mineral extraído em Tete está ser feito pela linha do Sena, que liga a província ao porto da Beira, em Sofala, e cujas obras de requalificação têm vindo a afectar as exportações dos grupos mineiros que operam naquela região.

No âmbito da visita oficial, os governos da Tailândia e de Moçambique assinaram cinco acordos de cooperação, que incluem a isenção de vistos para passaportes diplomáticos e de serviço e o desenvolvimento de actividades nas áreas de petróleo e gás.

A empresa estatal petrolífera da Tailândia PTT Exploration tem investimentos avultados na prospecção de hidrocarbonetos na bacia do Rovuma, na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique.

Comments are closed.