O Brasil é o maior mercado externo da TAP Cargo e assim deverá continuar, até porque a companhia aérea nacional não cessa de aumentar a oferta para o país. A partir de Junho haverá 74 semanais para dez cidades.

No ano passado a TAP Cargo transportou 94,2 mil toneladas, um máximo absoluto, e dessas cerca de 34 mil toneladas tiveram como origem/destino o Brasil. Curiosamente, o equilíbrio da operação foi perfeito, com 17 mil toneladas em cada sentido, como afirmou Pedro Mendes, director da companhia no Brasil, citado num comunicado da empresa.

Para este ano a previsão é de crescer 18%, avançou José Anjos, director de Carga e Correio da TAP, que liderou a embaixada da companhia nacional na Intermodal de São Paulo. Por outras palavras, a meta será ultrapassar as 40 mil toneladas.

No primeiro trimestre, a TAP Cargo fez “cerca de 3 800 toneladas de importação Brasil (mais 10%) e outro tanto de exportação (mais 23%), avançou aquele responsável ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS. A taxa de ocupação, medida em tonelaas-km utilizados, cresceu no mesmo período “cerca de 9%”, acrescentou.

No ano passado, as cargas movimentadas a partir do Brasil cresceram 27% em termos homólogos, e o país de Dilma Roussef (então de Lula da Silva) foi um dos principais destinos das cargas provenientes da Europa que passaram por Lisboa.

Em termos globais, entre Janeiro e Março deste ano a TAP Cargo movimentou “mais cerca de 5% em toneladas” que no mesmo período de 2010, o que faz com que José Anjos se mostre optimista quanto a “cumprir os objectivos de crescermos cerca de 10% em receita”, concluiu.

Em 2010, a TAP Cargo movimentou 94,2 mil toneladas (mais 24%) e realizou um volume de receitas de 125 milhões de euros (mais 27% em termos homólogos).

Os comentários estão encerrados.